A diferença enriquece

Século XXI. Um século de evolução, inovação e (novas) tecnologias. Mas, não será  também um século de retrocesso no respeito pelo ser humano?

Num século, e principalmente numa década, em que os diferentes e os oprimidos começaram a batalhar para ganhar voz, também se mostrou que a espécie humana, em parte, manifestou um grande retrocesso no respeito pelo próximo e pela diferença.

Na minha ótica, o ser humano regrediu no respeito e acentuou preconceitos. O medo de demonstrar o repúdio e a intolerância pelos outros tornou-se muito menor e isso é visível pelo facto de termos no poder de grandes e populosos países líderes xenófobos, homofóbicos, racistas, machistas e transfóbicos. Em síntese, líderes que disseminam o ódio em vez da paz e da segurança.

Podemos também afirmar que a falta de informação e de orientação, tanto em contexto familiar como fora dele, permite o avolumar do preconceito e da opressão na sociedade, pois a mensagem que passa assume que o diferente está errado e que o estereótipo construído pela sociedade é que está certo.

Para concluir, reitero que devemos respeitar o próximo, independentemente da identidade de género, da etnia, da cor ou da orientação sexual. As nossas diferenças não nos diminuem nem nos acrescentam, enriquecem-nos, pois todos somos únicos.

Ana Nogueira, 9.ºC

Clube de Jornalismo

Festa/ Feira da Primavera

É uma festa? É! É uma feira? Também! Talvez por isso a atividade do dia 5 de junho seja designada das duas formas. O rigor do nome é irrelevante, o que importa realmente é o êxito desta iniciativa.

Quase manhã cedo, as barraquinhas começaram a ganhar vida e cor! Alguns vestidos a rigor, outros mais descontraídos, estiveram todos muito empenhados em vender e agradar aos respetivos clientes, muitos deles protagonistas na consecução e sucesso da feira.

Estas ocasiões, em que se abrem os portões da escola e se recebem os encarregados de educação e comunidade em geral, permitem a todos perceber que a Educação é da competência de todos.

O que se ganha com iniciativas como esta? Muito! Dinheiro, claro, mas, acima de tudo, ganha-se “saber ser” e “saber fazer”. Por detrás do objetivo de amealharem para a festa de finalistas ou para outra ocasião especial, foi visível o orgulho ao exibirem os seus produtos, os produtos da sua terra!

Independentemente do percurso que cada jovem fará, serão sempre mais ricos por valorizarem as tradições, as origens e aqueles que os dotaram de bases sólidas para enfrentarem os seus desafios com sucesso!

 

Clube de Jornalismo

Caminhada Pedagógica

A Escola, cada vez mais, se depara com o desafio de desenvolver estratégias que permitam a formação integral  de jovens que são e continuarão a ser basilares na nossa sociedade. Por isso, em vez de chegarem e entrarem, os alunos, professores, e alguns assistentes operacionais saíram. Saíram para regressar, algumas horas depois, cansados, mas satisfeitos. Foi assim no dia 29 de maio, um dia de primavera com céu azul e sol, mas com algum ar fresquinho à mistura.

As aulas, nesse dia, converteram-se numa caminhada pedagógica e as aprendizagens foram adquiridas através de uma abordagem diferente. O ponto de partida, Valadares, serviu de motivação, e o percurso trilhado até Santa Marinha do Zêzere permitiu observar, compreender, questionar, valorizar e aprender. É fundamental adquirirmos competências que nos permitam ser cidadãos atentos e proativos , mas só o seremos se formos capazes de analisar e compreender o mundo que nos rodeia, seja no centro de uma grande cidade, seja num ambiente rural, como o nosso.

Além disso, esta atividade possibilitou, ainda, um salutar convívio entre todos os que diariamente se cruzam nos corredores e salas de aula.

Como se pretendia, foi muito mais do que uma caminhada. Foi um meio diferente com o mesmo fim: formar cidadãos à altura das exigências do mundo atual.

Clube de Jornalismo

Aprender pode ser divertido…

Passado vs Futuro Hoje

As mudanças sociais, económicas, ambientais e tecnológicas com que nos deparamos diariamente trouxeram consigo grandes desafios à escola e à nossa sala de aula.

Este novo contexto afigura-se repleto de incertezas, mas igualmente de grandes oportunidades, por isso, este ano letivo, na disiplina de História  do 7.º ano, as olimpíadas realizaram-se com recurso ao Kahoot.  Esta atividade permitiu incentivar o gosto pela História utilizando um contexto lúdico e descontraído. Simultaneamente, os alunos mobilizaram e consolidaram conhecimentos.

No geral, os alunos revelaram-se interessados e curiosos durante toda a atividade.

Mas, mais do que palavras…

Sandra Mónica Almeida

Professora de História

JI de Ladoeiro – Frende

Junho: Festa de encerramento do ano letivo

A nossa festa foi muito divertida e alegre. Cantámos, dançámos com os nossos Pais e depois ainda houve um lanche-convívio! Adorámos!

Maio: Dia da mãe

Neste dia as nossas Mães receberam um “miminho” nosso. Fizemos um lindo postal, com um poema, e um prato decorado por nós. Também decorámos o papel para o embrulharmos. As nossas queridas Mães adoraram o presente!

Abril: mês da prevenção dos maus tratos na infância

Articulámos com a CPCJ de Baião, aceitando a proposta da pintura de uma tela. Fizemos com esponjas e tintas a técnica da carimbagem, resultando um lindo quadro que representa o Amor que todas as  crianças deveriam receber.

JI de Ladoeiro – Frende

Educadora Noémia Ribeiro

JI de Viariz

Dia da Criança – para encarar com seriedade

Eduardo Sá escreveu: “Moram, em cada criança, inúmeras histórias verdadeiras, sonhos e ideias. Moram vilões e magos. Moram personagens carinhosas e velhacas. E um ou outro viajante acidental que, de surpresa, lhes deu luz, ou alma ou vida. E episódios. Muitos que magoam. E alguns mágicos. É assim o mundo das crianças. Não é nem cor-de-rosa nem áspero. Não é bucólico nem apressado. É igual ao nosso.”

E o dia mundial da criança foi criado para lembrar que o melhor do mundo são as crianças e, por isso, devemos, todos os dias, esforçarmo-nos por construir um mundo melhor, com oportunidades felizes, um mundo onde seja possível tornar os direitos das crianças iguais e vividos em todo o mundo!

Projeto “Semear ciência”

O projeto “Semear ciência” tem contribuído para a valorização das ciências na educação pré-escolar, tem promovido a literacia científica; tem desenvolvido nas crianças e alunos competências científicas; tem propiciado o desenvolvimento do raciocínio, do pensamento crítico e da capacidade de resolução de problemas; tem proporcionado aos alunos experiências diversificadas de aprendizagem e, genericamente, tem promovido momentos de alegria, divertimento e partilha.

Ao longo destes meses em que proporcionámos experiências divertidas e transversais a várias áreas do saber, foi sempre motivador e interessante observar as crianças, num clima de cumplicidade e interação com as questões, com os factos e com as evidências/conclusões que estes momentos desencadearam. É deveras inquestionável a sua entrega nestas questões, na curiosidade em saber o que vai acontecer, porque aconteceu e “agora vou dizer à minha mãe, vou fazer em casa…”

Finalizámos o nosso projeto “Semear Ciência” para o ano letivo 2018/2019 com a realização de duas experiências: a “Atração pelo Íman” e a “Formação de um Fóssil”. Ambas suscitaram curiosidade e expetativa. Aqui ficam os registos.

JI de Viariz

Educadora Anabela Almeida

JI de Carvalhais – Gestaçô

O melhor do mundo são as crianças

O Jardim de Infância de Carvalhais, Gestaçô, comemorou o Dia da Criança no dia 3 de junho. A data foi assinalada com jogos tradicionais e com a participação da família, em especial das mães e avós. Foi um dia muito agradável, que permitiu um convívio saudável entre a escola e a família. Além dos jogos tradicionais, como o do saco, da corda, da colher e do ovo e do lencinho, houve pinturas de camisolas, de desenhos, de pinturas faciais, finalizando com um piquenique.

Quando foi feita a proposta, as representantes dos encarregados de educação levaram a sua tarefa a um patamar mais elevado e surpreeendente. Conseguiram angariar, por sua iniciativa, t-shirts e balões, através do Banco Crédito Agrícola de Sta Marinha de Zêzere, para a atividade do jardim.

O entusiasmo foi tal que resolveram solicitar ao presidente da Junta de Freguesia insufláveis e lanche para o dia 1 de junho, de modo a que todas as crianças de Gestaçô pudessem passar um dia de alegria e de convívio com os pais. A disponibilidade e o apoio da Junta de Freguesia permitiu dar às crianças um dia muito feliz para todos os que compareceram ao chamado. Gratidão a todos, em nome do “melhor do mundo”.

JI de Carvalhais – Gestaçô

Educadora Celina Ferreira

JI do Sudeste de Baião

No dia 31 de maio, o grupo de crianças do Jardim de Infância de Sudeste de Baião participou na Visita de Estudo ao Sea Life e ao Pavilhão da Água, na cidade do Porto.

Foi uma atividade enriquecedora, na qual as crianças puderam conhecer e tomar contacto com as espécies marinhas, mergulhar no conhecimento do mundo subaquático, descobrir o habitat natural e a alimentação das espécies e sensibilizar-se para a importância da água, através de uma série de atividades experimentais.

O entusiasmo foi geral. O grupo de crianças mostrou grande curiosidade e, a avaliar pelos comentários e reações, a atividade foi um sucesso.

Em nome das crianças, agradecemos à Câmara Municipal de Baião que nos cedeu o transporte sem o qual esta atividade não seria possível. Esperamos que se sintam cada vez mais sensibilizados para a colaboração em atividades desta natureza, que permitem sempre promover experiências novas e enriquecedoras para as nossas crianças.

A colaboração dos pais e/ou encarregados de educação foi igualmente importante para a possível concretização da atividade, nomeadamente no empenho na Feira da Primavera e na venda de produtos confecionados pelos próprios.

Quanto à nossa pequena horta, parece que as ervilhas, de tão sensíveis que são, não se deram muito bem. Porém, alguns legumes, bem cuidados e regados, desabrocharam: batatas, feijões, ervilhas, abóboras e até cebolas! Se esperarmos mais algum tempo, vamos com certeza fazer uma sopinha!

JI do Sudeste de Baião

Educadora Luísa Correia

JI de Senhora

Somos os meninos do JI de Senhora e vamos partilhar convosco algumas atividades deste período.

 Lembrámos o dia 25 de abril, com a canção “A Gaivota”, a história “O Tesouro” e a confeção deste lindo cartaz:

Comemorámos o Dia da Mãe com sorvete de morango e elaborámos anteriormente o postal, a prenda e um cartaz alusivo ao dia.

Como andamos com o Meio Ambiente às voltas, realizámos a experiência da rega ácida e rega normal, para compreendermos melhor os malefícios da poluição atmosférica e o efeito nefasto das chuvas ácidas na vegetação.

Pois é, conforme a rega ácida queimou o feijoeiro, também as chuvas ácidas queimam o reino vegetal, sem o qual não haverá vida no planeta Terra.

Já colhemos as ervilhas que semeámos em janeiro. As favas não deram vagens, porque ganharam pulgões e não havia joaninhas para os comerem. A causa estará, provavelmente, nos pesticidas que usam na agricultura, na zona envolvente ao Jardim de Infância.

Realizámos a nossa visita de estudo ao oceanário “Sea life” e gostámos muito de ver as tartarugas, os tubarões, as raias e todos os outros peixes.

Como está muito calor, fizemos gelados de laranja e refrigerante artificial de limão, sem conservantes.

Gostamos muito de brincar na areia, de fazer construções com o tangran e de pintar.

Boas férias, amiguinhos! Divirtam-se muito.

JI de Senhora

Educadora Maria de Fátima Sousa

XVII Encontro de alunos de EMRC

«Liga-te, estás convocado» foi o tema do XVII Encontro de alunos de EMRC, da diocese do Porto, realizado no 17 de maio, no Parque Oriental do Porto, no qual participaram 94 alunos do 7.º ao  9.º ano e 6 professores da nossa escola.

Esta iniciativa desafiou milhares de alunos a serem “protagonistas da mudança no mundo”, a serem capazes de olhar para o mundo à sua volta, para a natureza e para as pessoas, e fazerem desse mundo um lugar melhor, onde o Ser  Humano e Natureza convivem e lidam em equilíbrio. Este foi um encontro onde reinou sobretudo o convívio, a diversão e a boa disposição. Os alunos adoraram participar!

Os alunos e a Prof.ª de EMRC, Carla Soares